2012-06-30


passas por mim
sempre à mesma pressa
um sem fim de cheio
um vazio infinito
desde o instante que nasces
sem tempo que realizes
que a cada momento novo
já és um tempo morto

Pedro

2 comments:

Blondewithaphd said...

Ui, que coisa um tanto ou quanto lúgubre, não? (bem vista, bem escrita mas lúgubre na ideia)

Pedro said...

o que é o tempo que nasce
que no mesmo instante é passado
a não ser tempo que é só tempo
sem cheiro, sem vivo, sem cor