2010-06-05


passo o dedo entre os teus seios
é um arrepio que sentes
como se fosse de ar
o arrepio que sentes

dispo-te o que me despes
num devagar apressado
como se fosse pressa
o que sentimos presente

amo-te como me amas
entre o gemido ondulado
com todo o ser entregue
este presente que sentes

Pedro

4 comments:

Blondewithaphd said...

Bolas, que isto para sábado de manhã abre a pestana a qualquer um! Espectacular! (so, it seems you're back in business. Nice to see you here!)

Pedro said...

sometimes one goes
sometimes one's back
not always as white
as sometimes black

Margarida said...

X rated, mister! :))))

Beijo!
(foste ao(s) concerto(s) do Vasco?)

Pedro said...

X?
nem x :)

estou fora de Lisboa :(
não deu para ir

beijo